Evidência Científica - Pílula Anticoncepcional

Tudo o Que Precisa de Saber Sobre a Pílula

admin Geral, Ginecologia, Literacia em Saúde Leave a Comment

Este artigo é baseado, acima de tudo, na informação presente nos consensos de contraceção da Sociedade portuguesa de Ginecologia, no site português Contraceção, no site americano Planned Parenthood e no site britânico NHS.

Pretende-se, com este artigo, esclarecer todas as dúvidas existentes sobre a toma da pílula. Caso haja algum ponto não esclarecido, coloque nos comentários. A questão será respondida e a informação adicionada ao artigo.

1 – A partir de que idade posso começar a tomar a pílula?

A idade não constitui contra-indicação à utilização de qualquer método contracetivo, incluindo a pílula. Uma gravidez durante a adolescência é muito mais grave do que o início da pílula na adolescência. Além de que na adolescência o início da contraceção hormonal relaciona-se muitas vezes com outras indicações médicas tais como acne, dores menstruais e menstruações abundantes e irregulares.

2 – Em que dia devo começar a tomar a pílula?

Pílula combinada

Pode começar a combinação de comprimidos a qualquer momento. Se começar os comprimidos combinados no prazo de 5 dias após o início do período, então estará protegida da gravidez imediatamente.

No entanto, se começar os comprimidos combinados em qualquer outra, só estará protegida da gravidez após sete dias do início da toma. Durante esses sete dias é importante utilizar outro tipo de método de proteção, como preservativo ou preservativo feminino.

Pílula progestativa

Pode começar a tomar os comprimidos apenas com progesterona a qualquer momento. Ficará protegida do risco de gravidez após 48 horas (dois dias). Durante essas 48 horas, é importante utilizar outro método de controlo da natalidade, como o preservativo.

>A toma da pílula com progesterona deve ser feita no mesmo horário, todos os dias. Se existir uma diferença superior a três horas após o horário habitual, é importante utilizar preservativo para diminuição do risco de gravidez nas próximas 48 horas (dois dias).

Iniciar a pílula após a gravidez

Existe a probabilidade de engravidar novamente pouco depois de estar grávida. Se estiver a amamentar a criança, a probabilidade de engravidar é baixa (proteção de 98%). No entanto, após um aborto a fertilidade é quase imediata. Em ambas as situações, deve começar com uma pílula progestativa. No caso do aborto, poderá iniciar a pílula combinada após três semanas. No caso de uma gravidez bem sucedida e se estiver a amamentar, só após seis semanas.

3 – Se tomar a pílula durante muitos anos, posso ficar infértil?

Não existe qualquer relação conhecida entre o uso da pílula e infertilidade. Numa mulher saudável a toma da pílula pode prolongar-se no tempo enquanto for necessário. Quando a pílula é suspensa a mulher retoma a sua capacidade fértil. Algumas vezes após a suspensão da pílula pode existir 1 ou 2 ciclos mais irregulares, mas isso não se traduz em nenhuma doença ou complicação.

4 – Posso usar a pílula para não ter período?

Sim. E é bastante fácil. Basta tomar a pílula com hormonas todos os dias, sem interrupção. Existem algumas caixas que têm comprimidos sem hormonas (comprimidos inativos), que servem apenas para manter o ritmo da toma. Esses comprimidos não devem ser tomados e deve começar outra caixa com comprimidos ativos de imediato.

Pode fazer isso a longo prazo ou então apenas em algumas situações particulares, quando não quiser ter o período.

É possível que haja algum pequeno sangramento ou “spotting” quando se toma a pílula de forma continuada. Mas isto não representa nenhum problema. Esta situação habitualmente desaparece após três-seis meses de toma continuada.

 Mas isto não é perigoso?

Não. A não ocorrência de menstruação não tem qualquer tipo de implicação na fertilidade a longo prazo. Poderá ser da preferência de algumas mulheres e ter um impacto benéfico nalgumas situações clínicas. Não há nada perigoso ou prejudicial com o uso da pílula de forma continuada.

5 – A pílula é 100% eficaz?

A pílula combinada e a pílula com progestativo têm ambas uma eficácia de 99.7%, se tomadas de forma perfeita. No entanto, na vida real a eficácia é de cerca de 92%. Como é visível no quadro abaixo, não existem métodos anticoncepcionais 100% eficazes. Estes dados são obtidos através da utilização do método contracetivo durante o período de um ano:

Ao quadro acrescenta-se o Implanon, implante subcutâneo cada vez mais utilizado e que tem uma eficácia superior a 99%. É um método cada vez mais utilizado dado que não é necessário a mulher lembrar-se de o tomar e mantém-se eficaz durante 3 anos, tornando-se extremamente cómodo.

O que diminui a eficácia da pílula?

A principal razão para a pílula não ser eficaz é esquecer de a tomar.

No entanto, outras coisas como vómitos ou diarreia por mais de 48 horas podem reduzir a sua eficácia.

A pílula pode ser um pouco menos eficaz para mulheres com excesso de peso.

Alguns medicamentos suplementos também podem fazer diminuir a eficácia:

  • O antibiótico Rifampina e Rifabutina (outros antibióticos não tornam a pílula menos eficaz);
  • O antifúngico Griseofulvina e Cetoconazol (outros antifúngicos não tornam a pílula menos eficaz);
  • Medicamentos contra o HIV (Darunavir; Efavirenz; Lopinavir/Ritonavir; Nevirapina);
  • Medicamentos anti-epilépticos (Carbamazepina; Oxcabazepina; Lamotrigina;Fenobarbital; Fenitoína; Primidona; Topiramato; Felbamato, Etosuximida);
  • Medicamento para narcolepsia ou apneia de sono – Modenafil;
  • Certas ervas como o Hipericão/Erva de São João, comprimidos de alho, sementes de linhaça (efeito duvidoso), etc.

Quando se toma este tipo de medicações ou suplementos, convém usar o preservativo como método complementar.  Se vai fazer essa medicação a médio/longo prazo, convém mudar para um método anticoncepcional diferente.

6 – Esqueci-me de tomar um comprimido. Posso engravidar?

Como falamos acima, o esquecimento da toma da pílula é a principal razão pela qual ela deixa de ser eficaz. Saber o que fazer quando se esquece de tomar um comprimido é importante.

No site do Planned Parenthood, tem uma aplicação que permite dizer à mulher o que fazer em caso de esquecimento. De qualquer forma, descrevemos abaixo o que fazer nestas situações.

Pílula combinada

Se está a fazer a pílula contracetiva combinada e esqueceu-se de tomar os comprimidos, o que deve fazer depende de:

  • Quantos comprimidos se esqueceu de tomar;
  • Em que altura da caixa se encontra;
  • O tipo de pílula combinada que está a tomar.

A informação que se segue é para todas as pílulas combinadas excepto a Qlaira, Zoely e Daylette (Ver Extras, mais abaixo). 

Não tomou um comprimido

Esqueceu-se de tomar um comprimido ou iniciou um novo pacote um dia depois do recomendado, ainda está protegida contra a gravidez.  Nestes casos deve:

  • Tomar o comprimido que se esqueceu de tomar, mesmo que isso signifique tomar dois comprimidos num só dia;
  • Continue a toma do resto dos comprimidos da caixa normalmente;
  • Faça o intervalo normal de 7 dias, após acabar a caixa; ou tome os comprimidos inativos presentes na caixa, como habitualmente.

Não precisa de outro tipo de cuidados.

Esqueci-me de tomar dois ou mais comprimidos

Se se esqueceu de tomar dois ou mais comprimidos em qualquer altura do pacote ou iniciou uma nova caixa 48 horas mais tarde do que era suposto, deve:

  • Tomar o último comprimido que se esqueceu de tomar, mesmo que isso signifique tomar dois comprimidos num só dia;
  • Continue a toma do resto dos comprimidos da caixa normalmente, não tomando os outros comprimidos que foram esquecidos;
  • Usar preservativo durante os próximos 7 dias.

Se dois ou mais comprimidos foram esquecidos na terceira semana (pílulas 15-21): acabe o pacote, omita o intervalo livre de comprimidos e inicie uma nova embalagem no dia seguinte.

Poderá ser necessário considerar contraceção de emergência se perdeu dois ou mais comprimidos na primeira semana e teve relações sexuais desprotegidas nos sete dias anteriores.

Ainda não tem a certeza do que tem que fazer? Se não tem a certeza do que fazer, então continue a tomar a pílula e use outro método de contraceção, como o preservativo. Tente obter aconselhamento profissional assim que possível.

Pílula Progestativa

Como falamos, a pílula progestativa deve ser tomada todos os dias, mais ou menos há mesma hora (não mais de 3 horas de diferença). Basta esta diferença de horário para aumentar a probabilidade de ovular e, eventualmente, engravidar.

Não tomou um ou mais comprimidos (intervalo superior a 3 horas)

  • Tomar a pílula assim que possível;
  • Tomar o próximo comprimido no horário habitual (mesmo que signifique tomar duas pílulas no mesmo dia).

Durante as próximas 48 horas, utilizar métodos barreira como preservativo, por forma a minimizar o risco de gravidez.

7 – Comecei a tomar a pílula e agora perco sangue todos os dias!

O termo técnico do seu problema é “spotting”. É uma ocorrência basta frequente, atingindo entre 10 a 30% das mulheres que utilizam a pílula. Pode ter diversas causas e é importante verificar:

  • Se a toma da pílula é regular e sem falhas;
  • Se existe medicação associada que pode interferir com a pílula;
  • Se há história de infecção recente;
  • Se existência de outro tipo de doença orgânica.

Se nenhuma das situações anteriores está presente e o “spotting” persiste para além de três a seis ciclos menstruais é aconselhado mudar para uma pílula com uma dosagem de estrogénios mais elevada.

8 – A pílula serve apenas para não engravidar?

Os efeitos secundários nem sempre são maus. A prova é que a pílula anticoncepcional tem muitas vantagens além da prevenção da gravidez.

Vantagens da pílula combinada

Baseado neste e neste artigo

  • Diminui a mortalidade geral em cerca de 12% (RR de 0.88, 95%IC, 0.82– 0.93)
  • Redução das dores menstruais;
  • Regularização dos ciclos menstruais;
  • Redução de quistos funcionais;
  • Redução do risco de gravidez ectópica;
  • Possível redução do tamanho e sintomas relacionados com fibromiomas/leiomiomas;
  • Redução do risco de aparecimento de quistos mamários e fibroadenomas mamários;
  • Diminui o risco de cancro do ovário – a pílula combinada associa-se a uma diminuição de 40% do risco de tumores malignos e borderline epiteliais do ovário. Esta protecção está descrita mesmo com utilizações de curta duração (3 a 6 meses) e aumenta com a duração do uso. O efeito prolonga-se pelo menos 15 anos após a suspensão da pílula. Esta redução é perceptível mesmo nas mulheres com risco genético aumentado (portadoras de alteração nos genes BRCA1 e BRCA2).
  • Diminuição do risco de cancro do endométrio – a pílula combinada diminui em 50% o risco de adenocarcinoma do endométrio. A proteção persiste por mais 20 anos após o abandono da pílula. O efeito protector é diretamente proporcional com a duração da toma e é maior quando a toma foi superiores a 3 anos;
  • Diminuição do risco de cancro colorrectal –  associa-se a diminuição de 18% na incidência de cancro colorrectal. A redução de risco é maior nas utilizadoras recentes e independente do tempo de uso;
  • Atua na prevenção da doença inflamatória pélvica (DIP)/salpingite;
  • Ajuda a prevenir e tratar a endometriose;
  • Melhora os sintomas vasomotores da perimenopausa;
  • Aumenta a densidade mineral óssea na perimenopausa (mas não se sabe se diminui o risco de fratura);
  • Reduz a incidência e severidade da acne;
  • Reduz o crescimento do pêlo, importante em distúrbios como o hirsutismo.

Vantagens da pílula progestativa

  • Redução das dores menstruais;
  • Diminuição de risco de gravidez ectópica;
  • A toma implica ficar sem período, o que poderá ser benéfico em várias situações;
  • Pode usar quando está a amamentar;
  • É útil quando não pode tomar a pílula combinada;
  • Pode usar em qualquer idade, mesmo quando fuma ou tem mais de 35 anos.

9 – A pílula engorda?

É complicado…Uma revisão de 2017  demonstra que os estudos científicos nesta área são contraditórios. Algumas mulheres afirmam que ganham peso, outras que perdem peso. É por isso que ambos os efeitos secundários se encontram no folheto informativo dos contracetivos hormonais.

Teoricamente, os contracetivos hormonais podem contribuir para o ganho de peso devido a uma retenção de fluídos ou aumento da gordura corporal.

Mas não é fácil de discernir se a pílula tem qualquer impacto no aumento de peso, já que as mulheres que não usam contracetivos hormonais também ganham peso à medida que envelhecem.

Os resultados sobre este tema são incertos.

Os investigadores da Cochrane procuraram estudos de boa qualidade com contracetivos hormonais em que o peso foi registado. Só conseguiram encontrar alguns estudos que comparam os contracetivos hormonais com contracetivos hormonais “falsos” (placebos) e que mediram o impacto no peso. Nenhum dos estudos encontrados mostra uma clara ligação entre a contraceção hormonal e ganho de peso.

Mas esses estudos não tiveram participantes suficientes e não foram bem desenhados por forma a fornecer uma resposta definitiva. Além disso, a maioria dos estudos não registou o peso dos participantes de forma muito fiável. Portanto, não é possível dizer com certeza se os participantes que utilizaram contracetivos hormonais ganharam mais peso.

Um efeito importante no peso é improvável

Um grupo de investigadores também procurou estudos onde diferentes contracetivos combinados foram comparados entre si e o peso foi cuidadosamente registado. Encontraram 45 estudos nos quais muitos tipos diferentes de contracetivos hormonais foram comparados. Portanto, é difícil dizer como os tipos os princípios ativos afetam o peso, de forma individual.

Neste estudo não foi encontrada nenhuma ligação entre a dose hormonal e o ganho de peso. Se as hormonas realmente influenciaram o ganho de peso, então seria de esperar que com doses mais elevadas haveria um aumento de peso mais expressivo. Essa relação não foi estabelecida. No geral, os investigadores concluíram que será muito pouco provável que os anticoncepcionais hormonais levem a um ganho de peso. Se existisse um efeito forte, teria sido detetado nos estudos. Mas isso não exclui a possibilidade das mulheres, a nível individual, poderem ganhar peso com a toma da pílula.

Estes resultados também se aplicam à pílula progestativa.

10 – Quais são as desvantagens da toma da pílula?

Pílulas combinadas

  • Dores de cabeça (aconselhada redução de estrogénio);
  • Náuseas e vómitos (aconselhada redução de estrogénio);
  • Aumento mamário ou tensão mamária (aconselhada redução de estrogénio ou mudar de progestativo);
  • Mudanças de humor (alterar para esquemas com período de pausa encurtado; ponderar suplementação com vitamina B6);
  • Não protege contra infecções sexualmente transmissíveis;
  • O spotting é comum nos primeiros meses de uso da pílula (se se mantiver, considerar aumento de estrogénio);
  • Risco aumentado de trombose (coágulos sanguíneos);
  • Risco aumentado de cancro da mama;

No caso da trombose, uma Cochrane realizada em 2014 diz o seguinte:

All combined oral contraceptives investigated in this analysis were associated with an increased risk of venous thrombosis. The effect size depended both on the progestogen used and the dose of ethinylestradiol. Risk of venous thrombosis for combined oral contraceptives with 30‐35 μg ethinylestradiol and gestodene, desogestrel, cyproterone acetate and drospirenone were similar, and about 50‐80% higher than with levonorgestrel. The combined oral contraceptive with the lowest possible dose of ethinylestradiol and good compliance should be prescribed—that is, 30 μg ethinylestradiol with levonorgestrel.

Todos os anticoncepcionais orais combinados investigados foram associados a um risco aumentado de trombose venosa. O tamanho do efeito dependia tanto no tipo de progestativo utilizado como da dose de etinilestradiol. O risco de trombose venosa para contracetivos orais combinados com 30-35 μg de etinilestradiol e gestodeno, desogestrel, acetato de ciproterona e drospirenona foram semelhantes e cerca de 50-80% maiores do que com levonorgestrel. O contracetivo oral combinado com a menor dose possível de etinilestradiol devem ser prescritos, ou seja, 30 μg de etinilestradiol com levonorgestrel.

Ou seja, a combinação de etinilestradiol em baixa dose com levonorgestrel parece ser a combinação com menor risco de trombose venosa.

Pílulas progestativas

  • Poderá ter períodos desregulados ou o “spotting”, como descrito anteriormente;
  • Não protege contra doenças sexualmente transmissíveis;
  • Poderá agravar o acne;
  • Pode levar ao aumento mamário ou tensão mamária;
  • Pode ter efeito na líbido, com aumento ou diminuição da mesma;
  • Alterações de humor;
  • Dores de cabeça ou enxaquecas;
  • Náuseas e vómitos.

11 – O médico disse que não posso usar a pílula combinada. É verdade?

A pílula tem várias contra-indicações absolutas e relativas para a sua toma. Contra-indicação absoluta significa que não pode mesmo tomar. Contra-indicação relativa significa que devem ser consideradas outras opções. Só na ausência de opções válidas devem tomar a pílula combinada. Segue um quadro com essas contra-indicações, adaptado dos Consensos sobre Contraceção da Sociedade Portuguesa de Ginecologia:

12 – Qual a melhor pílula para o acne?

As hormonas presentes na pílula combinada ajudam combater a acne porque a pílula diminui os níveis de androgénios circulantes e a consequente produção de sebo.

As pílulas devem conter estrogénio e um progestativo para serem eficazes contra a acne. A pílula progestativa contém apenas progesterona, por isso não melhora a acne. As pílulas prescritas para a acne devem conter um progestativo com baixos efeitos androgénicos.

Um estudo de 2012 da Cochrane concluiu que todas as pílulas anticoncepcionais combinadas conseguiam tratar a acne não inflamatória e inflamatória. O estudo também sugeriu que havia alguma evidência (mas pouca) de que as pílulas anticoncepcionais combinadas contendo drospirenona eram mais eficazes do que aquelas que continham nomegestrol mais 17-beta-estradiol. As pílulas com acetato de ciproterona foram mais eficazes que as pílulas combinadas com drospirenona.

No entanto, os investigadores consideraram que as alterações não eram significativas o suficiente para sugerir uma pílula em detrimento de outra. Quando se inicia a toma da pílula para controlo do acne, os efeitos podem demorar várias semanas ou meses até serem visíveis.

13 – Devo deixar de tomar a pílula durante algum tempo?

Algumas mulheres acham que devem fazer um “intervalo de descanso” da toma da pílula. No entanto, não existem evidências de que estes períodos de intervalo tenham alguma utilidade nem vantagens médicas. Também se deve ter em conta que, sem utilizar outro método, estes períodos de intervalo aportam um risco de gravidez não desejada.

14 – A pílula aumenta os níveis de colesterol?

Sim. No caso da pílula combinada parece existir uma relação entre a toma da pílula e o aumento dos níveis de colesterol. O aumento dá-se em todos os parâmetros do colesterol (colesterol total, LDL, HDL) e também nos triglicerídeos. O valor do aumento ronda os 10-20%. No entanto, o risco cardiovascular é inexistente com as pílulas combinadas de última geração, com menores doses de hormonas. De qualquer forma, como vimos acima, a existência de um risco cardiovascular elevado é contra-indicação absoluta para a toma da pílula combinada. Outras alternativas devem ser ponderadas.

15 – Pílula do dia seguinte/ Contraceção de Emergência

É necessário relembrar que a pílula do dia seguinte não é um método contracetivo a ser utilizado com regularidade, mas só mesmo em caso de emergência.

A pílula do dia seguinte deve ser usada nas seguintes situações:

  • Não usou qualquer método de proteção e teve sexo desprotegido;
  • A utilização do método de contraceção habitual falhou (esqueceu-se de tomar a pílula, não mudou o patch ou o anel vaginal, esqueceu-se de tomar a injeção contracetiva);
  • Falha no coito interrompido;
  • Falha no método barreira (preservativo rompido).

Existe dois tipos de pílula do dia seguinte:

A ellaOne, com o princípio ativo acetato de ulipristal, que pode ser tomada nos 5 dias seguintes ao risco de gravidez ter sido detetado (ter feito sexo desprotegido, por exemplo). No entanto, se está a tomar pílula contracetiva, utiliza patch de contraceção ou anel vaginal, a ellaOne pode não funcionar tão bem como as outras pílulas.

A pílula do dia seguinte com levonorgestrel como princípio ativo. Esta pílula funciona melhor nos primeiros 3 dias após o risco de gravidez ter sido detetado. No entanto, pode ser tomada até os 5 dias seguintes.

A pílula do dia seguinte é segura?

A contraceção de emergência é segura – milhões de pessoas já usaram diferentes tipos de contraceção de emergência à mais de 30 anos. Não há relatos de complicações graves.

Portanto, é totalmente seguro tomar a pílula do dia seguinte quantas vezes for necessário, mas este método não é um método contracetivo a ser utilizado a longo prazo. Os outros métodos contracetivos são mais eficazes, acessíveis e convenientes.

Extras

Esquecimento da pílula Qlaira

Cada caixa de Qlaira contém 26 comprimidos ativos coloridos e 2 comprimidos inativos brancos. Estes devem ser tomados na ordem especificada na caixa. Se se esqueceu de tomar um comprimido inativo, não tem qualquer problema.

Se se esqueceu de tomar uma pílula ativa:

  • Deve tomá-la assim que possível (mesmo que isso signifique tomar duas pílulas num dia) e depois continuar a toma normal. Não tomar mais que dois comprimidos ativos num dia.
  • Se o esquecimento tiver menos de 12 horas de atraso, tome uma pílula ativa e ainda estará protegida contra a gravidez. Não precisará de usar precauções extras.
  • Se o esquecimento tiver mais de 12 horas de atraso,  poderá não estar protegida contra a gravidez. O que fazer a seguir depende da altura do pacote em que a falha ocorreu:

Se se esqueceu de iniciar uma nova caixa ou se esqueceu de tomar um comprimido do dia 1 a 9 do pacote, deve usar anticoncepção extra, como preservativos nos próximos nove dias, enquanto continua a toma normal dos comprimidos. Se teve relações sexuais desprotegidas nos sete dias antes de perder uma ou mais desses comprimidos, existe a possibilidade de engravidar e deve procurar aconselhamento médico. Poderá precisar tomar contracetivo de emergência (pílula do dia seguinte).

Se se esqueceu de um comprimido dos dias 10 a 17 do pacote, então é necessário usar contraceção extra, como preservativos, nos nove dias seguintes, enquanto continua a toma normal de comprimidos.

Se se esqueceu de um comprimidos dos dias 18 a 24, descarte o pacote atual e comece um novo pacote imediatamente com a primeira pílula. Precisará de usar contraceção extra, como preservativos, nos os próximos nove dias.

Se se esqueceu um comprimido nos dias 25 a 26 do pacote, então a pílula perdida deve ser tomada imediatamente e depois a próxima pílula na hora habitual. Neste caso, não é necessária nenhuma contraceção extra.

Se o esquecimento foi nos dias 27 ou 28, não importa, pois estes comprimidos são inativos. Basta descartar o comprimido inativo perdida e continuar a tomar os comprimidos, normalmente.

Se falhar mais do que um comprimido, deve consultar o médico.

Esquecimento da pílula Zoely

O seguinte conselho apenas se aplica ao esquecimento dos comprimidos ativos brancos:

Se o atraso na toma de qualquer comprimido ativo for inferior a 24 horas, não há redução da proteção contracetiva. A mulher deve tomar o comprimido logo que se lembre e deve continuar a tomar os restantes comprimidos à hora habitual, mesmo que signifique tomar dois comprimidos no mesmo dia.

Se o atraso na toma de qualquer comprimido ativo for de 24 horas ou superior, pode haver redução da proteção contracetiva. Em caso de esquecimento de comprimidos, devem ser seguidas duas regras básicas:

  • São necessários 7 dias de toma ininterrupta de “comprimidos ativos brancos” para alcançar uma adequada supressão do eixo hipotálamo-hipófise-ovário.
  • Quanto maior for o número de “comprimidos ativos brancos” esquecidos e mais perto se estiver da toma dos 4 comprimidos placebo amarelos, maior é o risco de gravidez.

Dia 1-7

A mulher deve tomar o último comprimido branco esquecido logo que se lembre, mesmo que isso signifique tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Posteriormente, deve continuar a tomar os comprimidos à hora habitual. Para além disso, deve ser utilizado um método de barreira, como um preservativo, até que a mulher complete 7 dias de toma ininterrupta dos comprimidos brancos. No caso de ter ocorrido relação sexual nos 7 dias anteriores, deve ser considerada a possibilidade de gravidez.

Dia 8-17

A mulher deve tomar o último comprimido branco esquecido logo que se lembre, mesmo que isso signifique tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Posteriormente, deve continuar a tomar os comprimidos à hora habitual. Tendo em consideração que a mulher tomou os seus comprimidos corretamente nos 7 dias anteriores ao comprimido esquecido, não é necessário utilizar precauções contracetivas adicionais. Contudo, se a mulher se esquecer de tomar mais do que 1 comprimido, deve ser aconselhada a utilizar precauções adicionais até que complete 7 dias de toma ininterrupta dos comprimidos brancos.

Dia 18-24

O risco de redução da eficácia é eminente dada a proximidade do intervalo com comprimidos placebo amarelos. No entanto, é ainda possível prevenir a redução da eficácia contracetiva através de um ajuste no esquema de toma dos comprimidos. Ao aderir a qualquer uma das duas opções seguintes, não há necessidade de utilizar precauções contracetivas adicionais, desde que nos 7 dias anteriores ao primeiro comprimido esquecido a mulher tenha tomado todos os comprimidos corretamente. Se não for o caso, ela deve seguir a primeira destas duas opções e tomar também precauções adicionais nos próximos 7 dias.

Primeira opção: A mulher deve tomar o último comprimido esquecido logo que se lembre, mesmo que isso signifique tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Posteriormente, deve continuar a tomar os comprimidos à hora habitual até os comprimidos ativos serem utilizados. Os 4 comprimidos placebo da última linha devem ser rejeitados. O blister seguinte deve ser iniciado imediatamente. É pouco provável que a mulher tenha uma hemorragia de privação até ao final dos comprimidos ativos do segundo blister, mas podem ocorrer pequenas hemorragias (spotting) ou hemorragias intra-ciclícas durante os dias em que toma comprimidos.

2. A mulher também pode ser aconselhada a interromper a toma de comprimidos ativos do blister atual. Posteriormente, deve tomar os comprimidos placebo da última linha no máximo durante 3 dias para que o número total de comprimidos placebo mais os comprimidos ativos brancos esquecidos não seja superior a 4 e, posteriormente, prosseguir com o blister seguinte. Se a mulher se esqueceu de tomar comprimidos e, posteriormente, não tiver hemorragia de privação durante a fase de comprimidos placebo, deve ser considerada a possibilidade de uma gravidez.

Tenha em atenção: Se a mulher não tem certeza do número ou cor de comprimidos esquecidos e qual opção de aconselhamento seguir, deverá ser usado um método de barreira até que a mulher complete 7 dias de toma ininterrupta dos comprimidos ativos brancos.

Esquecimento de comprimidos placebo amarelos

Não há redução da proteção contracetiva. Os comprimidos amarelos a partir da última (4ª) linha do blister podem ser rejeitados. No entanto, os comprimidos esquecidos devem ser rejeitados para evitar o prolongamento não intencional da fase de comprimidos placebo.

Esquecimento pílula Daylette

Os 4 últimos comprimidos da 4.ª fila da carteira são comprimidos de placebo. O facto de se esquecer de um destes comprimidos não terá qualquer efeito na fiabilidade de Daylette. Deite fora o comprimido de placebo esquecido.

No caso de se esquecer de tomar um comprimido branco ativo (comprimidos 1-24 da sua carteira blister), deve fazer o seguinte:

  • No caso de se ter atrasado menos de 24 horas na toma de um comprimido, a proteção contra uma gravidez não está diminuída. Tome o comprimido logo que se lembrar e depois continue a tomar os comprimidos seguintes à hora habitual.
  • No caso de se ter atrasado mais de 24 horas na toma de um comprimido, a proteção contra uma gravidez pode estar diminuída. Quanto maior for o número de comprimidos de que se esqueceu de tomar, tanto maior é o risco de engravidar.

O risco de proteção incompleta contra a gravidez é maior no caso de se esquecer de um comprimido branco no início ou no fim da carteira. Portanto, deve obedecer às regras seguintes (ver também o diagrama):

Esquecer-se de mais de um comprimido desta carteira – Contacte o seu médico.

Esquecer-se de um comprimido entre os dias 1 – 7 (primeira fila) 

Tome o comprimido de que se esqueceu logo que se lembrar, mesmo que signifique ter de tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Continue a tomar os comprimidos à hora habitual e utilize precauções adicionais durante os 7 dias seguintes, por exemplo, um preservativo. Se tiver tido relações sexuais na semana que precede o esquecimento do comprimido, existe um risco de gravidez. Neste caso consulte o seu médico.

Esquecer-se de um comprimido entre os dias 8 – 14 (segunda fila)
Tome o comprimido de que se esqueceu logo que se lembrar, mesmo que signifique ter de tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Continue a tomar os comprimidos à hora habitual. A proteção contra a gravidez não está diminuída e não necessita de tomar precauções adicionais.

Esquecer-se de um comprimido entre os dias 15 – 24 (terceira ou quarta fila)

Pode escolher entre duas possibilidades:

1. Tome o comprimido de que se esqueceu logo que se lembrar, mesmo que signifique ter de tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Continue a tomar os comprimidos à hora habitual. Em vez de tomar os comprimidos verdes de placebo, desta fila, elimine-os e comece a carteira seguinte (o dia em que começa será diferente). O mais provável é que tenha um período no fim da segunda carteira, enquanto estiver a tomar os comprimidos verdes de placebo, mas pode ter uma hemorragia ligeira ou uma hemorragia do tipo menstruação durante a segunda carteira.

2. Também pode parar de tomar os comprimidos brancos ativos e passar diretamente para os 4 comprimidos verdes de placebo (antes de tomar os comprimidos de placebo, tome nota do dia em que se esqueceu de tomar o seu comprimido). Se quiser começar uma nova embalagem no dia em que sempre começa, tome os comprimidos de placebo durante menos de 4 dias.

Se seguir qualquer uma destas duas recomendações, permanecerá protegida contra uma gravidez.

No caso de se ter esquecido de um comprimido numa carteira e não tiver uma hemorragia durante os dias do placebo, pode significar que está grávida. Neste caso, deve contactar o seu médico antes de iniciar a carteira seguinte.

Ajudar o Projeto Scimed

Seja um patrocinador desta causa. Ajude o autor a ter mais tempo para escrever.

Sim! Isto é Serviço Público!

Partilhar Este Artigo

Dr. João Júlio Cerqueira

Médico Especialista em Medicina Geral e Familiar